Apanhar o que tu mesmo jogaste ao ar

Nada mais é que habilidade e tolerável ganho;

Somente quando, de súbito, deves apanhar a bola

Que uma eterna comparsa de jogo

Arremessa a ti, ao teu cerne, num exato

E destro impulso, num daqueles arcos

Do grande edifício da ponte de Deus:

Somente então é que saber apanhar é uma grande riqueza

Não tua, de um mundo.

Anúncios